O que é Proporção Áurea?

A Proporção Áurea é uma forma de medição encontrada numa constante algébrica irracional. Não se assuste, simplificaremos para você.

Ela existe quando uma linha é dividida em duas partes; e sua parte maior (A) dividida pela menor (B) é igual à soma de (A) + (B) dividida por (A), resultando aproximadamente em 1,618 (número arredondado por se tratar de uma dízima periódica). Observe a imagem abaixo para facilitar a compreensão.

Esta constante (1,618) é representada pela letra grega Phi, em homenagem ao escultor Phideas, que supostamente a teria utilizado para construir o Partenon.

Fórmula proporção áurea

Ela também está relacionada à importante sequência de Fibonacci: 0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233… formada sempre pela soma dos dois números anteriores: 1 + 1 = 2; 1 + 2 = 3; 2 + 3 = 5, e assim por diante. Ao dividirmos um número pelo outro, nos aproximamos continuamente da constante 1,618.

Se desenharmos um quadrado (figura geométrica com lados exatamente iguais) e multiplicarmos um de seus lados por 1,618, iremos obter um retângulo de proporções harmoniosas.

Ao continuar aplicando a fórmula da Proporção Áurea ao novo retângulo, iremos obter quadrados progressivamente maiores.

Se inserirmos um arco em cada quadrado, iremos obter o diagrama da Espiral Áurea, que apresenta um senso de beleza através da harmonia e da proporção matemática.

Retângulo áureo
“Retângulo de ouro”
Retângulo áureo

Esse tipo de harmonia é encontrada tanto em diversas obras de arte quanto na própria natureza. Se pararmos para observar, diversas coisas que estão ao nosso redor e que nos parecem belas, seguem esta proporção matemática.

Ao colocar o objeto de destaque ao longo de uma linha curva, há um melhor direcionamento do olhar do espectador ao longo da imagem, principalmente para onde está localizada a espiral menor.


Alguns exemplos da proporção áurea:

  • Logotipos da Pepsi e Twitter
  • Corpos e rostos humanos
  • Flores
  • Caracóis
Rosto em proporção áurea
Twitter Logo
Flor

Os mitos por trás da proporção áurea

A razão áurea exite, porém, ela não está presente em tudo.

Muitas vezes, as pessoas “forçam o olhar” para tentar encaixar o objeto em destaque nas proporções devidas.

Temos, aqui, alguns exemplos que apesar de serem conhecidos por representar a proporção áurea, na verdade, não o são.

Partenon e a proporção áurea
As medidas da fachada não se encaixam na proporção áurea. Isso só funciona quando você inclui no retângulo parte dos degraus.
Monalisa Fibonnacci
Se inserirmos arbitrariamente um retângulo áureo no rosto de Gioconda com a curva espiral saindo de suas mãos, encontraremos a proporção.
Homem-vitruviano-e-proporcao-aurea-689x745

Se Leonardo da Vinci quisesse incorporar a proporção áurea na imagem, ele poderia facilmente ter movido um pouco a posição do umbigo. O retângulo áureo e a linha do umbigo não se encaixam.

Confira um vídeo que elucida tudo o que vimos anteriormente


Conclusão

A razão áurea surge inesperadamente em diferentes contextos transmitindo sempre a sensação de estética e beleza, por isto ela é surpreendente.

Sabemos da sua importância que perpassa diversos séculos nos mais variados campos: natureza, estética, design, etc. Tudo isto nos faz entender motivo pelo qual foi chamada de razão áurea.

É satisfatório poder enxergar padrões, proporções e simetrias na natureza. Isso nos dá uma sensação de controle e ordem, podendo facilitar nossas compreensões e percepções sobre o que temos ao redor.

Entretanto, é importante entender que não encontramos esta proporção harmônica em tudo, muito menos que ela delimitará tudo o que pode ou não ser belo. Muitas coisas foram “forçadas” para se encaixar na razão áurea, devido tanto a uma convenção construída em cima desse conceito quanto um próprio mecanismo de nosso cérebro em encontrar padrões onde não existem.


Veja também

Fontes